DNIT aposta na educação ambiental para a conservação da biodiversidade da Amazônia.

Publicado por: Glícia Favacho

20240605_160429


Durante a Semana do Meio Ambiente, o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (DNIT) lançou uma importante iniciativa nos municípios de Uruará e Anapu, em parceria com as escolas locais, voltada aos docentes da rede pública de ensino da rodovia Transamazônica (BR-230/PA). O órgão promoveu, através do Programa de Educação Ambiental, ações educativas que visam a conscientização e preservação da rica biodiversidade da Amazônia, focando principalmente na formação de professores.

A palestra objetivou fornecer ferramentas e conhecimentos necessários para que os professores possam incorporar temas ambientais em suas práticas pedagógicas de maneira eficaz e inspiradora. A equipe conduziu as atividades abordando tópicos como a importância da floresta amazônica, desafios ambientais, a biodiversidade local, práticas sustentáveis que podem ser adotadas tanto nas escolas quanto nas comunidades, e metodologias ativas de ensino que possibilitem envolver os alunos de maneira mais participativa e interativa, promovendo uma aprendizagem significativa sobre temas ambientais.

Durante as atividades, foi explanado sobre a preocupação do DNIT com a construção da ponte sobre o rio Xingu, um empreendimento de grande porte que exige atenção especial aos impactos ambientais, destacando os programas ambientais que vem executando, sempre pensando na biodiversidade da região do Xingu. A construção dessa ponte é essencial para o desenvolvimento da infraestrutura regional, mas também demanda medidas rigorosas para minimizar os impactos sobre o ecossistema local.

No final da palestra, todos foram convidados a realizar o plantio de mudas em alusão ao Dia do Meio Ambiente. Esse ato simbólico visa não apenas enriquecer o ambiente escolar, mas também servir como um laboratório vivo para os alunos, que poderão acompanhar o crescimento das plantas e aprender sobre a importância das espécies nativas e da biodiversidade.

Uma das atividades mais marcantes foi a exposição de exemplares de coleções didáticas, representando a fauna local, proporcionando um contato direto com a biodiversidade da região do Xingu. Foram apresentados diversos tipos de animais endêmicos, permitindo que os participantes conhecessem melhor as espécies que habitam a área. A exposição incluiu mamíferos, répteis e anfíbios, destacando a diversidade e a importância desses animais para o equilíbrio ecológico da região, e peixes endêmicos como o acari zebra (Hypancistrus zebra) símbolo da complexa ictiofauna do Xingu.

A iniciativa realizada em Uruará e Anapu é um exemplo claro de como a educação ambiental pode ser uma ferramenta poderosa na preservação da biodiversidade da Amazônia. Ao investir na formação de professores o DNIT está plantando as sementes para um futuro mais sustentável, onde o conhecimento e a conscientização ambiental guiam as ações de preservação da floresta e de seus recursos naturais.